Visite São Brás de Alportel!

Percurso - Passeio Ornitológico "O Ninho"

PERCURSO PEDESTRE TEMÁTICO

“O NINHO”

Um projeto do Programa “Memórias da Terra”

Porque o Planeta Terra é o Nosso Ninho!

 

Estamos no sítio de Javali (N37°14'04.6", W7°53'36.6"), curiosamente rodeado de cerros com diversos nomes de animais: Cerro do Urso, do Açor, do Porco, da Águia, da Coruja… Talvez porque este pequeno aglomerado rural, de origens que se perdem no tempo, se situa entre sobreirais, hortas e ribeirinhos, propícios a diferentes espécies de aves e de outras espécies!

Ao longo deste percurso encontra 6 placas alusivas a aves comuns neste habitat, cada qual no seu ninho. O ninho é a casa da ave, feita com palhas, penas, pequenos galhos e fios, que tem como função, na maioria das aves, promover a incubação e a criação dos filhos.

Com a criação deste percurso pretende-se sensibilizar moradores e visitantes para o valor do nosso planeta, através de uma das suas espécies mais emblemáticas: as aves.

Cada pássaro surge no seu ninho para nos lembrar que a Terra é também o Ninho de todos nós, a nossa Casa Comum, que devemos defender!

Cada um de nós não deve esquecer que, no seu contexto, tem um papel importante no equilíbrio ecológico.
Pode conhecer outras espécies visitando os três pontos de observação de aves do concelho: Bispo, Fonte Férrea e Farrobo, sempre a partir da Estrada Nacional 2.

 

 

Eis algumas das especies que aqui pode encontrar:

  • Pintassilgo - Carduelis carduelis
    Pintassilgo - Carduelis carduelis

    Muito comum em terrenos agrícolas, bosques, sebes e vegetação ribeirinha, onde nidifica nas extremidades dos ramos de árvores e arbustos bem desenvolvidos. A fêmea constrói um ninho muito compacto, em forma de taça aberta, que entrelaça com galhos, musgo, ervas secas, líquenes e penugem. O interior é revestido de pelo, lã e penugem para acomodar os ovos.

     

  • Perdiz - Alectoris rufa

    Embora ocorra numa grande variedade de habitats, é mais frequente em terrenos agrícolas e zona de matos. O local do ninho, escondido em touças de ervas altas ou mato denso, é escolhido pelo macho, que se limita a escavar uma pequena cova no solo, esparsamente forrada com algumas peças de vegetação. As posturas podem chegar a atingir mais de uma dúzia de ovos.

     

  • Papa-Figos - Oriolus oriolus

    Nidifica sobretudo em habitats com árvores de copas bem desenvolvidas, como sobreirais e pomares de frutos. A fêmea constrói um ninho volumoso feito de ervas, musgo e líquenes, que suspende da forquilha dos ramos de uma árvore, normalmente a uma altura considerável do solo. O macho alimenta as crias com insetos e lagartas. Ave migradora, nidifica na primavera.

     

  • Pica-Pau-Malhado - Dendrocopos major

    Frequenta zonas florestais bem desenvolvidas, preferindo sobreirais e pinhais. Faz o ninho em buracos escavados nos troncos das árvores, que podem chegar a ter 30 centímetros de profundidade. As crias permanecem no interior da cavidade forrada com lascas de madeira, sendo alimentadas através do orifício de entrada.

     

  • Águia-Perdigueira - Aquila fasciata

    Ave de rapina muito territorial, que habita preferencialmente zonas rochosas em serranias e locais elevados. Usa galhos e ramos para construir ninhos muito volumosos, que podem chegar a ter 2 metros de diâmetro e 1 metro de altura. Embora prefira ocupar plataformas rochosas em escarpas abruptas, no Algarve nidifica no topo de grandes árvores.

     

  • Melro-Azul - Monticola solitarius

    Habitante típico de zonas rochosas, que ocorre sobretudo em regiões acidentadas, zonas habitadas ou em ruina e vales escarpados de ribeiras. Instala os seus ninhos em forma de taça em cavidades das rochas, que reveste com ervas secas, caules de plantas e musgo. O macho, de plumagem azul escura, traz alimento para a fêmea, mais acastanhada, enquanto esta incuba os ovos.

  • [Mapa do Percurso]